Introversão nunca foi defeito

Enquanto a extroversão é valorizada e incentivada (no Brasil é questão até de sobrevivência), a introversão sempre foi confundida com timidez, misantropia e fobia social. Além disso, os introvertidos são minoria (25%), em comparação com os extrovertidos (75%), segundo pesquisas. Sendo minoria, as pessoas discretas e reservadas acabavam evitando assumir posturas que pudessem ser rotuladas como antissociais. Isso mudou, felizmente. Hoje há muitos livros, sites e vídeos para ajudar os introvertidos a enfrentar uma constatação tão nova quanto óbvia: introversão nunca foi defeito. O que é, então?

Introversão nunca foi  defeito
Os(as) introvertidos(as) preferem ambientes calmos ou minimamente agitados

SER INTROVERTIDO

O que é ser introvertido(a)? Simples: introvertido(a) é quem prefere ambientes calmos ou minimamente agitados. Os introvertidos tendem a se sentir esgotados após períodos intensos em eventos sociais (por escolha ou por obrigação). Para recuperar a energia drenada, precisam passar algum tempo a sós. Isso ocorre principalmente porque os cérebros dos introvertidos respondem à dopamina de maneira diferente dos cérebros dos extrovertidos.

Segundo Scott Barry Kaufman, diretor do Imagination Institute, os extrovertidos têm um senso de recompensa mais elevado que os introvertidos. Em outras palavras, para os extrovertidos é muito importante, por exemplo, a atenção que recebem dos outros, o dinheiro, a comida, o status social e a oportunidade de transar. [Uma pesquisa na Alemanha mostrou que os extrovertidos fazem mais sexo que os introvertidos, mas não se sabe se por opção ou por obrigação (risos).]

ACEITAÇÃO

Se você, assim como eu, é um introvertido, aceite o seguinte: muito provavelmente a gente é assim desde sempre. Os especialistas no assunto afirmam que a introversão é um temperamento, não uma personalidade. O temperamento engloba características com as quais nascemos e que orientam o nosso modo de agir. A personalidade, diferentemente, pode ser definida como um modo de se comportar moldado pelas circunstâncias e pelas experiências.

Podem ser necessários anos para se construir uma personalidade, enquanto o temperamento já está em nós. Por exemplo, se seus modos calmos e atenciosos foram incentivados por seus pais, professores e outras pessoas, você provavelmente cresceu se sentindo confiante em quem você é. Mas se você foi (como muitos introvertidos) provocado, intimidado ou forçado a se abrir, você pode ter desenvolvido alguma ansiedade social ou sentiu que precisava fingir ser alguém que você não é.

DIFERENCIAÇÕES

Obviamente, os introvertidos não são iguais entre si. Alguns introvertidos precisarão de apenas um pouco de tempo sozinhos para recarregar as baterias e são capazes de lidar com longas horas de sociabilização antes de se sentirem esgotados. Mas também há os/as que perdem rapidamente as forças e passam longos períodos sozinhos para compensar o desgaste.

Introversão nunca foi  defeito
Jennifer Granneman, autora de “The Secret Lives of Introverts” e editora do IntrovertDear.com

“O certo é que a maioria dos introvertidos prefere não estar continuamente cercada por pessoas”, afirma a introvertida Jennifer Granneman, autora de “The Secret Lives of Introverts”. “Eventos sociais ruidosos, com muitas pessoas falando sobre assuntos banais, causam nos introvertidos não apenas cansaço, mas também desconcentração e irritabilidade.”

TIMIDEZ E EVASÃO

Timidez e introversão são coisas distintas. Ser tímido significa que você fica muito tenso e constrangido em situações sociais. Tanto os introvertidos quanto os extrovertidos podem ter essa característica, aliás. Conheço introvertidos que são também tímidos, mas não é o meu caso. Fui professor universitário 15 anos, nunca tímido, mas nos intervalos entre as aulas eu procurava um lugar silencioso onde pudesse ficar sozinho e me restaurar.

Da mesma maneira, discrição e reserva nunca foram sinônimo de tristeza, arrogância ou indiferença. Aliás, nós, introvertidos, curtimos socializar, mas é assim: 1) Encontrando pouca gente de cada vez; 2) Conversando sobre assuntos profundos e significativos. Além desses dois critérios, considere o fato de que em nossos convívios processamos milhares de informações (verbais e não verbais), e isso também exige de nós um tempo para digerirmos e interpretarmos tudo o que foi captado.

OUTRAS CARACTERÍSTICAS

Os introvertidos compartilham certas características chaves:

  • Preferimos ficar em casa a comparecer a vários eventos sociais consecutivos;
  • Apreciamos atividades tranquilas que possam ser feitas com ou sem alguém ao nosso lado, como leitura, escrita, filmes, seriados, música, desenho, jardinagem, caminhadas, etc.;
  • Trabalhamos perfeitamente bem (com concentração, eficiência e pontualidade) sozinhos;
  • Fugimos de conversas fiadas, dentro do possível;
  • Evitamos, dentro do possível, bate-papo ao telefone (nada melhor que o tête-à-tête);
  • Temos necessidade de cultivar uma rica e equilibrada vida interior;
  • Percebemos mil detalhes que em geral passam despercebidos pelos outros;
  • Somos bons planejadores e gostamos de pensar/refletir;
  • Temos dificuldade de compartilhar nossos sentimentos e emoções com “qualquer um(a)”.
Introversão nunca foi  defeito
Introvertidos, no geral, são bons planejadores e adoram pensar/refletir

NORMALIDADE

Imagine como eu me sentia em reuniões e eventos aos quais era obrigado a comparecer? Ou aos quais comparecia porque me sentia obrigado? Além do desgaste físico e mental inevitável, ficava tentando encontrar a solução para um problema que, na verdade, não existia. “Apesar do que seus colegas, professores e até pais podem ter dito a você, o fato é que ser introvertido é perfeitamente normal”, sublinha Granneman.

Alguns introvertidos podem ser também pessoas altamente sensíveis (PAS), meu caso (risos). Ser um introvertido altamente sensível me obrigou a passar boa parte da vida fingindo ser o que nunca fui. Fingindo ser: 1) Extrovertido; 2) Super sociável; 3) Mais pragmático do que reflexivo; 4) Mais racional do que emotivo; 5) Mais imbatível do que vulnerável.

Hoje tenho grande respeito e consideração pelo meu senso de privacidade e pela minha seriedade bem-humorada. Hoje consigo lidar com minhas próprias dificuldades sem me deixar atropelar ou influenciar pelos padrões que as pessoas menos sensíveis e extrovertidas (sempre majoritárias) tentam estabelecer.

Saiba+: O Poder dos Quietos // IntrovertDear.com // Introvertidamente.com // Faça o teste para saber se você é introvertido(a)

Sergio Vilas-Boas

Escritor e jornalista especializado em psicologia. Autor de vários livros, entre eles "Perfis: o Mundo dos Outros" e "Biografismo". Mora em Florença. Mais info: https://sergiovilasboas.com.br - Email: [email protected]

  1. Plinio

    Relevante e esclarecedor, principalmente para nós, extrovertidos, compreendermos não apenas as pessoas próximas que são introvertidos, mas principalmente para refletirmos até onde nossa extroversão é natural ou socialmente imposta.
    Adorei Sérgio!, obrigado!

Write a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

conteúdo protegido
269 Shares 1.3K views
Share via
Copy link
Powered by Social Snap