O complicado juízo da Reputação

O complicado juízo da Reputação

A reputação é um fenômeno fluído, dinâmico, multidirecional, relevante e ambivalente. Ambivalente porque você pode ter boa reputação entre alguns grupos, mas não em todos. Aliás, não podemos nunca falar de reputação em termos absolutos. Devemos falar dela sempre em relação a um grupo-alvo específico, um que adote valores e critérios de julgamento (ou seja, um grupo que possa emitir juízos) substancialmente diferentes daqueles que outros grupos expressariam. Ler mais

¶ ¶ ¶

Otimismo militante aposta na esperança

A pandemia mostrou também o quanto o otimismo e a esperança são capazes de mostrar as suas caras em tempos sombrios. Alguma teoria por trás disso? Ler mais

¶ ¶ ¶

Nostalgia tem a ver com futuro

Se você tem vontade de começar a fazer algo realmente efetivo a respeito da sua vida, aceite que a (sua) nostalgia tem a ver com futuro também. Saiba como. Ler mais

¶ ¶ ¶

Civilidade é um “bem comum”

Civilidade é respeitar o que as outras pessoas pensam, sentem e dizem. Três palavras a descrevem bem: consideração, cortesia e polidez. Em sociedades democráticas, a civilidade é um valor. Ler mais

¶ ¶ ¶

Quarentena: crise de liderança

O coronavírus expôs a fragilidade de nossas lideranças. Que azar termos logo agora dois cínicos egocêntricos (Trump e Johnson) e um presidente desprovido de valores humanísticos e científicos (no Brasil). Ler mais

¶ ¶ ¶

Quarentena: sentir-se em casa

Perdemos a ponta do fio que nos ligava àquela insana mania de querer controlar tudo. Agora temos que ficar em casa. Mas o mais importante não é estar/ficar. É sentir-se em casa. Você se sente? Ler mais

¶ ¶ ¶

Toda viagem é uma bagagem

Toda viagem, no fundo, é uma forma de reencontro com o nosso eu mais profundo, um Eu Indivisível capaz de conhecer alguma coisa simplesmente porque já conhecia alguma outra coisa antes. Ler mais

¶ ¶ ¶

Grosserias se propagam como vírus

A falta de educação alheia afeta todos nós, direta ou indiretamente, afirma Danny Wallace em “F. You Very Much: Understanding the Culture of Rudeness and What We Can Do About It”. Ler mais

¶ ¶ ¶

Introversão nunca foi defeito

Não faltam livros, sites e vídeos para ajudar os introvertidos a enfrentar uma constatação tão recente quanto revigorante: introversão é apenas um modo muito particular de ser. Entenda-o. Ler mais

¶ ¶ ¶

Por que – para que – sonhamos?

Há séculos os sonhos têm sido estudados nas artes e no cotidiano. O que se sabe com certeza? Que nascem e se desenrolam dentro de nossas cabeças, nunca fora. Parece óbvio, mas não é. Ler mais

¶ ¶ ¶

Atitudes expressam crenças, desejos e emoções

Quando tomamos uma atitude, colocamos para funcionar, simultaneamente, o que acreditamos, o que queremos e os sentimentos gerados por esse acreditar/querer. Ler mais

¶ ¶ ¶

O bom humor civiliza (desde sempre)

Espirituoso ou absurdo, o bom humor ajuda a criar vínculos, liberar tensões, atrair parceiros e colocar os rivais em seus devidos lugares. Um bom senso de humor pode até reforçar o sistema imunológico. Ler mais

¶ ¶ ¶

Dicotomias alimentam simplificações falsas

Querer dividir por dois e polarizar, na esperança de que essa atitude facilite a nossa vida, é um equívoco. Por quê? Porque as dicotomias alimentam simplificações falsas. Ler mais

¶ ¶ ¶

A autoestima tem função vital

Autoestima é uma necessidade humana real, e o único modo de possuir uma (de preferência alta) é recorrendo à ação. A autoestima não move montanhas, mas te permite escalá-las. Ler mais

¶ ¶ ¶

Pessoas altamente sensíveis (PAS)

Elas respondem de maneira profunda aos estímulos externos e internos. São pessoas com grande capacidade de observar, ouvir e mostrar empatia; e de antever as possíveis consequências de uma decisão. Ler mais

¶ ¶ ¶

O sentido da vida é uma vida com sentido

Uma existência rica de significado tem efeito protetor em nosso organismo: mortalidade menor, menos chances de enfartar, sofrer derrame ou desenvolver doenças degenerativas, por exemplo. Ler mais

¶ ¶ ¶

Contato com natureza melhora a saúde

Nosso grande desafio hoje tem a ver com meio ambiente, mas natureza é questão de saúde também. Reduzir o predomínio do cimento e do asfalto em nossas vidas é imperativo. Ler mais

¶ ¶ ¶

Compromisso vai muito além da promessa

Por que é tão difícil assumir compromissos? Primeiro, porque prometer é fácil. Segundo, porque a gente tende a recusar o processo necessário que pode nos levar de um ponto a outro. Ler mais

¶ ¶ ¶

O fundo do sono que nos falta

O ritmo sono-vigília é uma forma de adaptação em um planeta que gira entre o claro e o escuro. Ignorávamos a metamorfose que ocorria em nosso cérebro enquanto dormíamos. Não mais. Ler mais

¶ ¶ ¶

A preguiça tem fim

A preguiça é socialmente indefensável em todas as culturas ditas civilizadas. E ela diz muito sobre a pessoa considerada preguiçosa, mas também sobre quem observa e descreve essa tal pessoa. Ler mais

¶ ¶ ¶

Colecionar: reter para eternizar

Colecionar não tem a ver com necessidade e uso, por isso há quem se orgulhe de ter em casa um baú enorme repleto de canecas de todos os tipos, que vêm sendo juntadas há décadas. Ler mais

¶ ¶ ¶

Por que o sentimento de culpa é traiçoeiro?

O sentimento de culpa decorre de uma convicção – quase sempre injustificada – de estarmos causando danos a alguém. Por que os dilemas da culpa são tão complicados de lidar? E o que fazer? Ler mais

¶ ¶ ¶

Arrepender-se é um ato de coragem

Uma vida sem arrependimentos é impossível, mas o arrepender-se também pode ser um ato de coragem. Por exemplo, quando faz a gente se abrir para novas possibilidades, com olhares novos. Ler mais

¶ ¶ ¶

Escolhas e decisões tomam tempo

Você, que não é (nunca foi) uma pessoa tipicamente indecisa, sente que gasta cada vez mais tempo para fazer escolhas simples e tomar decisões cruciais? Saiba como lidar. Ler mais

¶ ¶ ¶

A travessia pós-perda é uma dureza

A perda de alguém ou de algo que não queríamos perder de jeito nenhum é desconcertante e, conforme o caso, para sempre. Ter clareza sobre esse processo ajuda a mitigar as consequências. Ler mais

¶ ¶ ¶

A música desperta o coração e a mente

A musicoterapia tem ajudado crianças com autismo, portadores de Parkinson, Alzheimer e outros tipos de demência, assim como adultos ansiosos e deprimidos. Conheça o projeto Music & Memory. Ler mais

¶ ¶ ¶

Anatomia da conversa mole

O papo furado cumpre o papel social de “inimigo da verdade”. Até aí nada de mais. Mas quando a gente começa a reproduzir as bobagens alheias sem nem perceber, tudo muda de figura. Ler mais

¶ ¶ ¶

Cabeça cheia se esgota fácil

A sobrecarga mental afeta milhões de pessoas de ambos os sexos e de todas as idades em todo o mundo. Tem a ver com super exposição tecnológica, sim, mas também com a “mania” de querer ser multitarefas. Ler mais

¶ ¶ ¶

Para não cair em negação

Estudos relevantes indicaram que estamos sempre dispostos a rejeitar fatos e opiniões que vão contra nossos interesses e nossas crenças. No fundo, nega-se por motivos muito pessoais (e talvez irracionais). Ler mais

¶ ¶ ¶

A curiosidade gera inovação

Pessoas curiosas formulam perguntas e procuram respostas não apenas no Google ou em laboratórios mas também dentro de suas próprias cabeças. A curiosidade não matou o gato. salvou-o. Ler mais

¶ ¶ 

Ligar o foda-se também é importante

Tudo aquilo que é socialmente obrigatório pode criar uma espiral autodestrutiva. A ansiedade em relação à própria ansiedade gera, obviamente, mais e mais ansiedade. Ligar o foda-se é uma opção? Ler mais

¶ ¶ ¶

Maldita zoeira onipresente

Sabe aquele zumbido que gruda no seu ouvido depois que você sai de um bar lotado, onde as pessoas falavam mais e mais alto e a música ao fundo era altíssima? O ruído prejudica (e muito) a comunicação. Ler mais

¶ ¶ ¶

A conveniência de acreditar

Considere que ter crenças é uma atitude natural. Somos crentes, todos nós, independentemente da ideia de Deus. Acreditamos inclusive na conveniência de (não) acreditar. Por quê? Ler mais

¶ ¶ ¶

A razão e a empatia pelo coletivo

Conservadorismos envolvendo raça, etnia, gênero, etc., que pareciam extintos, voltaram a ser defendidos por uma parte considerável da população de vários países. Acabou a empatia pelo coletivo? Ler mais

¶ ¶ ¶

Coordenar os bons hábitos

Os hábitos refletem quem somos e como enfrentamos o cotidiano. Além de adaptativos, indicam como o seu cérebro está funcionando. Porém, problemas surgem quando os hábitos nos traem. Ler mais

¶ ¶

Estar presente aqui agora

No momento em que você começa a ler este texto, a sua mente está produzindo pensamentos sobre tantos assuntos que é difícil concentrar-se. Quanto tempo do seu dia você fica perdido em pensamentos? Ler mais

¶ ¶ ¶


Estratégias para um novo ciclo (ano)

Na próxima vez que você se pegar fazendo uma previsão negativa para o seu futuro, não se culpe. Ao contrário: parabenize-se por estar pelo menos percebendo seu negativismo. Ler mais

¶ ¶ ¶

Decisões cruciais afetam nosso destino

Nas decisões cruciais o número de alternativas é pequeno. Na maioria dos casos, estamos lidando com apenas duas opções, e ambas têm pros e contras, e nenhuma é melhor que a outra necessariamente. Ler mais

¶ ¶ ¶

Christmas Blues (melancolia de Natal)

Apesar das férias e dos recessos (e excessos) muita gente não percebe nem no coração nem na pele o chamado “espírito de natal”, e por isso experimentam tristeza e depressão circunstanciais. Ler mais

¶ ¶ ¶

Precisamos de fronteiras e limites

Fronteiras e limites não são temas geopolíticos somente. Os dois substantivos se aplicam também à nossa psique. Precisamos estabelecer fronteiras e limites nos nossos relacionamentos. Ler mais

¶ ¶ ¶

Os placebos e a ilusão da expectativa

A simples expectativa de receber um tratamento por si só já pode produzir algum alívio em pacientes. Mas estudos recentes mostraram que o “efeito placebo” também pode moldar o nosso comportamento. Ler mais

¶ ¶ ¶

Sem a mentira a verdade não existiria

Mentir está entre as mais sofisticadas realizações do cérebro humano. Agora tente imaginar como seria a nossa vida se todo mundo dissesse a verdade, somente a verdade, nada mais que a verdade. Ler mais

¶ ¶ ¶

A parcimônia pode ser ensinada

Para onde vão as coisas que eliminamos/descartamos? Uma ideia interessante, e que também tem tudo a ver com minimalismo, é a parcimônia, que nossos avós já conheciam bem. Ler mais

¶ ¶ ¶

Difícil descrever a própria personalidade

Pesquisas indicam que a nossa sensação de bem-estar aumenta quando os nossos vários eus estão mais ou menos alinhados, mas quando o “eu social” se choca com o “eu mesmo” a situação se complica. Ler mais

¶ ¶ ¶

O minimalismo combate o consumismo

O estilo de vida minimalista vem conquistando adeptos. Atinge-se a quantidade ideal de pertences quando o discernimento avisa que não há mais nada para reduzir, cortar, doar, vender. Ler mais

¶ ¶ ¶

Precisamos falar sobre a vergonha

Falar sobre a vergonha causada por sentimento de inferioridade e medo do julgamento alheio não é fácil porque a gente tende a anestesiá-la, exatamente como fazemos com outros sentimentos incômodos. Ler mais

¶ ¶ ¶

Inteligência e talento se explicam

Muita gente se gaba de suas habilidades fenomenais, mas nada realizam de concreto. Talento e inteligência exigem uma mentalidade específica, que se adquire com dedicação e aprendizado constante. Ler mais

¶ ¶ ¶

Sobre reconhecer e ser reconhecido

Dois acontecimentos são fundamentais em nossa existência: 1) sabermos reconhecer o bom trabalho dos outros; e 2) receber reconhecimento à altura do que também fomos capazes de realizar. Ler mais

¶ ¶ ¶ 

O tempo e a percepção que temos do tempo

O tempo é uma invenção humana para nos ajudar a acompanhar os acontecimentos. O entendimento e o domínio do tempo, portanto, são uma questão de percepção. Como você o percebe? Ler mais

¶ ¶ ¶ 

A atenção é um ativo valioso

Nessa Era Digital, querer viver “tudo ao mesmo tempo agora” pode levar a frustrações. Precisamos, então, prestar mais atenção ao que realmente nos interessa, evitando certas “tentações”. Ler mais

¶ ¶ ¶

Onde entra a pitada de sorte?

“Se é verdade que algum talento é necessário ao sucesso, por que a maioria das pessoas mais talentosas não alcançam os picos de sucesso, sendo ultrapassadas muitas vezes por gente medíocre?” Ler mais

¶ ¶ ¶

Nossas escolhas contêm paradoxos

Está cada vez mais difícil escolher. Opções demais geram confiança de menos. Temos medo das possíveis consequências. Mais: a cada escolha feita estamos também escolhendo não escolher. Ler mais

¶ ¶ ¶

O cosmopolitismo do século 21 será universal

A ideia atual de cosmopolitismo vai muito além das fronteiras geopolíticas e identitárias; o cosmopolitismo do século 21 é universal, abrange o Planeta Terra. Essa nova visão pode trazer benefícios importantes. Ler mais

¶ ¶ ¶

Idolatrias e fanatismos diminuem a humanidade

As linhas que separam o super fã de um idólatra compulsivo ou de um fanático insano não são fáceis de identificar. O fato é que idolatria e fanatismo têm pelo menos uma raiz idêntica: a idealização. Ler mais

¶ ¶ ¶

Temos que dosar as comparações

Comparar-se com os outros é tão inevitável quanto interessante, às vezes. Pouco importa se a comparação é favorável ou desfavorável para quem se compara. Importa que comparar-se demais é inútil. Ler mais

¶ ¶ ¶

Saber esperar é uma virtude

A duras penas, aprendemos que só vale a pena esperar (e, consequentemente, perseverar) quando a recompensa futura é objetivamente melhor que a recompensa imediata. Ler mais

¶ ¶ ¶

A nociva trivialidade do ato de reclamar

Com ou sem razão, reclamar indiscriminadamente parece grátis, mas tem um preço. A gente passa a reclamar até das situações confortáveis. Essa trivialidade da reclamação me levou a refletir a respeito. Ler mais

¶ ¶ ¶

Perfeccionismo cria problemas extras

Além da crença na perfeição, sofremos outras formas de pressão: trabalhar sempre, ganhar mais e mais, amar sem restrições, saber tudo e se divertir como nunca. É o mesmo que acreditar no impossível, não? Ler mais

¶ ¶ ¶

A privacidade é uma escolha

A cultura brasileira, calcada na sociabilidade e na extroversão, não contribui para o “exercício de si mesmo”. Em outras culturas, porém, a privacidade é incentivada e preservada. Ler mais

¶ ¶ ¶

O fim de um jejum necessário

O único objetivo que atravessou com constância a maior parte da minha vida foi o de me tornar escritor. E aconteceu. E valeu a pena. Porém, experimentei – por vontade própria – um jejum. Ler mais

¶ ¶ ¶

A autoajuda ajuda pouco ou nada

“Não é sensato se interrogar sobre como ser mais feliz”, Oliver Burkeman em “Manual de Antiautoajuda”. “Os esforços para eliminar tudo o que é negativo só nos tornam mais inseguros e ansiosos.” Ler mais

¶ ¶ ¶

A felicidade virou grande negócio

A felicidade virou um negócio lucrativo. Tentáculo do consumismo, a indústria da autoajuda se apropria de conhecimentos extraídos das religiões, das ciências e das artes e os simplifica ou deturpa. Ler mais

/ / /

485 Shares 23.2K views
Share via
Copy link
Powered by Social Snap